domingo, 20 de julho de 2008

sobre amor e liberdade

bebi do líquido amargo do teu corpo
sonhei que te fazia um amor louco
não estou querendo pouco
quero tudo e algo mais que valha
me cansei desses canalhas
quero ir pra outro mundo
que não seja assim tão sujo
quero lágrimas e dor
com um pouco de calor
quero sexo e coragem
quero toda a libertinagem
e também a liberdade
não quero contar a idade
vamos logo sem demora
uma fruta: amora
uma hora: agora
imediatamente a felicidade
sangue, suor e igualdade
quero desregramento
e que não tenha sofrimento
sonhar sem medo
quero orwell, piva e malatesta
vamos todos a uma festa
no inferno de todos os santos
aos trancos e barrancos
vou levando meu amor
por essas ruas sem pudor
e na nossa história
toda honra e toda glória
agora e para sempre
ao infinito e além.

4 comentários:

Paixão, M. disse...

AMÉM!

Coisa mais lindaa!

Bonita você :***

Estela disse...

Será que amor e liberdade combinam?

(pensando)

p.s.: blog bacana!

blogava disse...

Ow moça bela, de belas palavras, esse texto me deu até mais ânimo para esta terça-feira de tanto trabalho!

Grande bjo, parabens, e obrigado pela visita!

Larissa Dardengo disse...

Você sempre muito, muito simpática nos comentários.

Eu nem preciso dizer que adoro os suas poesias e tudo mais.
E eu também não preciso repetir que eu queria muito saber escrever assim.
E acabei novamente dizendo tudo o que não precisava... =)

bjs